O CONSELHO JUVENIL É UM PROJETO DA VARA DA INFÂNCIA DA JUVENTUDE E DO IDOSO DE TERESÓPOLIS (RJ) , EM PARCERIA COM ESCOLAS PÚBLICAS E PARTICULARES .

domingo, 6 de junho de 2010

REBELDES COM CAUSA


Segue o texto da minha coluna desta semana, que sairá no Diário na 3ª feira:


REBELDES COM CAUSA


Pequena gafe na excelente matéria do Diário de Teresópolis sobre o CONEST (I Congresso Estudantil de Teresópolis), acontecido no dia 02 de junho. A legenda de uma das fotos supõe que eu e Prof. Marcelo Pelegrino, palestrantes do evento, tivéssemos defendido “menos rebeldia” por parte dos jovens. Mas, nunca! Já na crônica da semana passada, eu dizia da importância da rebeldia adolescente para a formação do adulto saudável, cidadão, consciente e crítico.


Na verdade, o que sustentei no CONEST e digo sempre é que precisamos ajudar o jovem a encontrar bons canais para o seu espírito naturalmente insurreto. E isso só se faz oferecendo a eles os melhores padrões de limites, regras e - acima de tudo - exemplos. O que deste conjunto for necessário e indispensável, será percebido e adotado, no momento próprio, como norma de comportamento. Aquilo que for excessivo ou absurdo, fiquem tranqüilos, pedagogos e psicólogos que sempre implicam com meus rigores de amador, os jovens saberão dispensar ou romper de forma saudável, produzindo avanços.


O problema, volto a dizer, é que quando não há limite algum, também não há o que adotar como parâmetro, quando for bom; não há o que romper, quando for ruim e por isso, jovens de hoje muitas vezes estão perdidos, sem noção de certo e errado, presas de prazeres fugazes, compromissos apressados, volubilidades doentias, “pegações” irresponsáveis e baladas perigosas. Mas, quando há limites, veja do que são capazes!


O CONEST FOI A PROVA DISSO. Os Conselheiros Juvenis, cujos nomes repetirei abaixo, para que a história os grave e jamais os esqueça, foram pra Vara da Infância e da Juventude, escolhidos por suas escolas, no ano passado. Foram empossados pela Drª Inês, e meio ressabiados, sem saberem direito o que tudo aquilo significaria, ficaram por lá, indo às reuniões, e a eles foi dito, “o Conselho será o que vocês quiserem ser“. Ou seja, cabia a eles escolher o que fazer. Oferecemos propostas. Eles aproveitaram algumas e delas fizeram suas obrigações. Tinham que comparecer, freqüentar treinamento sobre técnica de reuniões, etc. Alguns abandonaram o barco. Mas os que ficaram, alçaram vôo e chegaram ao sucesso do CONEST, precedido pela não menos impactante “Blitz nas Escolas”, que teve a função de chamamento para o Congresso. Diga-se que, no Projeto, inicialmente, imaginamos um funcionamento modesto para o Conselho Juvenil, até temporário. O bacana é que, os Conselheiros se rebelaram! Primeiro contra a divisão entre titulares e suplentes. Deram a todos iguais obrigações e direitos, mantendo a diferença apenas no voto, por questão de legalidade. Depois rebelaram-se contra a idéia de funcionamento mais curto e estenderam sua atuação além do imaginado. Fizeram mais, rebelando-se contra a regra escrita e admitindo que continuassem atuando Conselheiros que, após eleitos, mudaram de escola, pelo que perderiam a representação de origem. Isso, decidido bem antes da eleição da sua Diretoria, foi o que permitiu que a atual Presidente fosse escolhida. Quando veio o CONEST, eu, como membro do Comitê Assessor sugeri que não houvesse teatro ou banda de rock, e eles... rebelaram-se!


E FOI TUDO MUITO BACANA! PORQUE É DESSA REBELDIA QUE FALAMOS! A rebeldia conseqüente, bem direcionada, que faz avançar. E esses jovens avançaram muito.


Infelizmente, algumas autoridades convidadas não se fizeram presentes, e nem se deram ao trabalho de mandar representação. Mas o CONEST mostrou sua força. As autoridades verdadeiras lá estavam. Os jovens e bravos Conselheiros Juvenis e os Congressistas Estudantis!


Esse pessoal trabalhou pra caramba! E outra rebeldia bacana foi quando a Vara da Infância disponibilizou para ajudar nas burocracias do dia do Congresso, duas duplas de jovens integrantes do Pique-Jovem, e os Conselheiros somente os aceitaram como Congressistas, pois queriam, eles próprios “meter a mão na massa”, como fizeram, com toda competência.


O CONGRESSO FOI ABERTO SOLENEMENTE EM MESA DE AUTORIDADES COMPOSTA PELA DRª INÊS JOAQUINA E POR REPRESENTANTES DAS SECRETARIAS ESTADUAIS E MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO. Foi muito lindo ver aquela mesa, presidida pela autoridade maior do evento, uma jovem de 15 anos de idade (!), a Presidente do CJ e do CONEST, Ana Clara Monsores Pedrosa. Sobre o tema “Vida de Estudante, ralos, rolos e desenrolos”, ocorreram palestras deste colunista, em tabelinha com o prof. Marcelo Pelegrino. Foi divertido, animado, com chuvas de perguntas. À tarde, outra excelente tabela, entre o prof. Alfredo Bittencourt e a profª Maria do Rosário Grandini, em mesa bem conduzida pelo Vice-Presidente do CJ, Michel Salles, teve resultados iguais, com outra chuva de perguntas.


NESTE MEIO TEMPO, OCORRERAM APRESENTAÇÕES VARIADAS QUE MERECEM DESTAQUE. O competente CORAL DO BEATRIZ SILVA abriu a parte da tarde, trazendo música de concerto da melhor qualidade, que falou aos corações de todos. Alunos do CIEP SEBASTIÃO MELLO apresentaram trechos de 02 espetáculos teatrais, que emocionaram os presentes e foram ovacionados. O primeiro deles, um trecho do musical “Os Saltimbancos” e o segundo, o impactante “Amarras”.


Nos intervalos houve também um showzaço da BANDA ZENIT, composta por estudantes da cidade, empolgando o Congresso, que pôde curtir composições da banda e sucessos do rock. Com competência musical e carisma, cativaram a platéia, inclusive pondo todo mundo pra dançar à beira do palco, ao final do dia.


OS CONGRESSISTAS APROVARAM UMA “CARTA DOS ESTUDANTES DE TERESÓPOLIS”, proposta pelo Conselho Juvenil, fazendo uma avaliação da situação atual da sua geração e propondo soluções. Nas propostas, dentre outras coisas, a manutenção e ampliação do Conselho, a realização de ainda maiores manifestações, para maior conscientização, e a criação de Grêmios em todas as escolas.


Foi maravilhoso! Rebeldia dessas, eu quero é mais! Porque esses jovens estão se rebelando contra o descaso, o bullying, a inconseqüência, a indisciplina, o ensino de má qualidade, o preconceito e a desunião!


POR ISSO, REGISTRO AQUI, EM NOME DESTA CIDADE, MINHA GRATIDÃO AOS CONSELHEIROS JUVENIS - ESTES REBELDES COM CAUSA - QUE TANTO TRABALHARAM PARA O SUCESSO DO CONEST. SÃO ELES: Ana Clara Monsores Pedrosa (E. M. Ginda Bloch); Herman Barcelos Branco (Beatriz Silva); Meriane dos Santos Paula – (Campos Salles); Michel Salles Forni – (C.E. Higino da Silveira); Pablo de Oliveira Carneiro (CESO); Roberta Pinheiro de Mello Martuchelli (Colégio Teresopolitano); Ruth Rios Hiath (CEDAL); Thamara Tabera – (N.S do Carmo); André Luiz (N.S do Carmo); Brenda Bourdon Meirelles (Colégio São Paulo); Brenda Ramos de C. Corrêa(E.M. Ginda Bloch); Bianca de Rezende (Cedal); Camila Coelho ( C.E. Higino da Silveira); Fernanda Chiapeta (Colégio Georch March); Jonathan Noé de Alcântara (CIEP José Olympio); Matheus Moreira Nogueira (C.E. Beatriz Silva); Neide Carmo (Campos Salles); Rodrigo Santiago de Mattos (CESO).

2 comentários:

  1. A faltou colocar, que sem vc nada disso teria acontecido!!
    = )

    ResponderExcluir